Com chance de se tornar o quinto técnico que mais dirigiu o clube, Adilson confia em potencial de garotos da base para formar time competitivo

Contratado para salvar o Cruzeiro do rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2019, Adilson Batista não obteve sucesso na missão. Nas três últimas rodadas, a equipe perdeu para Vasco (1 a 0), Grêmio (2 a 0) e Palmeiras (2 a 0) e caiu para a segunda divisão em 17º lugar, com 36 pontos. Apesar da frustração pelo maior vexame esportivo da Raposa, a diretoria entendeu que o treinador não teve parcela de culpa. Por isso, concedeu-lhe a oportunidade de participar do processo de reconstrução do clube ao renovar seu contrato até dezembro de 2020. Adilson, portanto, tem a chance de atingir a quinta colocação entre os técnicos que mais dirigiram o Cruzeiro. Ele está a 33 jogos de se igualar a Ayrton Moreira, que fecha o ‘top 5’, com 206. Mano Menezes é o quarto, com 235.

Além da reta final da Série A de 2019, Adilson Batista foi técnico do Cruzeiro de janeiro de 2008 a junho de 2010. Contando as duas passagens, são 173 jogos, com 97 vitórias, 34 empates e 42 derrotas. O Cruzeiro marcou 324 gols e sofreu 198. Bicampeão mineiro em 2008 e 2009, Adilson esteve perto de conquistar a Copa Libertadores de 2009, mas viu o Estudiantes, da Argentina, ficar com a taça ao vencer de virada a final no Mineirão: 2 a 1. No Campeonato Brasileiro, alcançou o terceiro lugar em 2008 e o quarto em 2009. Em 2010, pediu demissão na sexta rodada, após o empate por 0 a 0 com o Santos, no Gigante da Pampulha. Na ocasião, a Raposa estava na sexta posição, com nove pontos (duas vitórias, três empates e uma derrota). Antes, havia sido eliminada nas quartas de final da Copa Libertadores para o São Paulo e nas semifinais do estadual diante do Ipatinga.

O trabalho de Adilson Batista em 2020 será pautado pela ideia de reconstrução. Em meio à dívida total de R$ 800 milhões – consequência da má administração do ex-presidente Wagner Pires de Sá, que assumiu o clube com débito inferior a R$ 400 milhões -, o Cruzeiro contém os gastos para reduzir sua folha de pagamento em mais de um terço. O objetivo da administração atual é fechar o gasto com remuneração no futebol em aproximadamente R$ 5 milhões, além de pouco mais de R$ 1 milhão a colaboradores de outros departamentos. O orçamento de R$ 80 milhões corresponde a 22% dos R$ 350 milhões de 2019.

Por causa do corte de despesas, o Cruzeiro dará muitas oportunidades às categorias de base. Já estão no grupo os goleiros Vitor Eudes e Vinícius; o lateral-direito Weverton; os zagueiros Cacá, Arthur e Edu; o lateral-esquerdo Rafael Santos; o volante Adriano; o meia Maurício; e os atacantes Welinton e Vinícius Popó. Devem ser promovidos os zagueiros Paulo e Jonathan, o volante Jadsom, o meia Marco Antônio e o atacante Caio Rosa. Os garotos terão o respaldo de jogadores experientes como o goleiro Fábio, os zagueiros Manoel e Leo e o volante Ariel Cabral. O grupo ainda ganhará reforços, casos de Ramon (zagueiro, lateral-esquerdo e volante), Everton Felipe (meia) e mais três jogadores.

“Quando passo aqui pelo trabalho, vejo o pessoal da grama, da limpeza, do almoxarifado, que falam: ‘se Deus quiser vai dar certo, Adilson! Vamos lá! Estamos juntos! A gente acredita!’ É isso que a gente quer aqui. Então eu vejo muitas pessoas, não queria entrar nesse mérito, mas tenho que enaltecer e elogiar essa mobilização do conselho gestor pela situação do clube. Existem pessoas que querem o bem do clube e estão trabalhando em prol disso. Isso aqui é passageiro”, afirmou Adilson, que pediu à torcida paciência com o desenvolvimento dos pratas da casa.

“O Athletico-PR joga com time jovem. O Flamengo vai jogar com time jovem. Então eu peço essa compreensão ao torcedor cruzeirense, pois precisamos da ajuda dele. Sei que ele está magoado, chateado, incomodado com algumas situações, mas ajude quem está se esforçando aqui. Estou vendo um grande esforço, ninguém está reclamando. Isso me deixa orgulhoso, e nós vamos colher esse fruto lá na frente”.

O Cruzeiro fará jogo-treino contra o Guarani de Divinópolis no sábado, às 9h30, na Toca da Raposa II. Será o principal teste para Adilson Batista analisar as qualidades do time na pré-temporada. A estreia no Campeonato Mineiro é contra o Boa Esporte, no dia 22 de janeiro (quarta-feira), às 21h30, no Mineirão.

Fonte/Fotos: Uai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *