O Brasil ficou em último lugar em uma pesquisa que mediu, em 53 países, como a população avalia a eficácia dos seus respectivos governos no combate à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). Dos entrevistados, apenas 34% consideram boa a resposta do país. A média global se satisfação ficou em 70%.

China ficou em primeiro lugar, com aprovação de 95% da população. Em seguida, vieram Vietnã, (95%), Grécia (89%), Malásia (89%) e Irlanda (87%). Na outra ponta do ranking, depois do Brasil, Chile (39%), França (46%), Espanha (50%), Japão (52%) e Estados Unidos (53%).

Na Suécia, país criticado por não impor grandes restrições para conter avanço da Covid-19, 69% dos entrevistados consideraram positivo o trabalho do governo. Na Itália, um dos países europeus mais afetados pela pandemia, com cerca de 35 mil mortes, a aprovação do governo ficou em 53%

A pesquisa também mediu a avaliação das pessoas quanto ao nível das medidas de restrição de circulação impostas pelos governos; 60% dos entrevistados brasileiros consideram que o país não fez o suficiente. Outros 24% avaliaram as medidas como boas, enquanto 11% acham que o governo exagera.

O Brasil também apareceu mal na avaliação da população sobre a percepção das pessoas a respeito de de quem geralmente tem os interesses atendidos pelo governo. Para 71% dos brasileiros, o governo atende pequenos grupos, e não a maioria das pessoas. O índice só foi melhor que os de Venezuela (74%) e Chile (72%)

O Brasil também foi um dos últimos na avaliação da percepção da democracia interna. Enquanto 83% consideram a democracia importante, apenas 51% consideram o país democrático, uma diferença de 32 pontos percentuais. A pior resposta foi a da Venezuela, com respectivamente 74% e 24%, um hiato de 50 pontos.

Nos Estados Unidos, a diferença é de 24 pontos. Enquanto 73% veem a democracia como importante, 49% consideram o país democrático.

Os resultados fazem parte do Índice de Percepção da Democracia – 2020, um estudo anual realizado pela empresa alemã Dalia Research em parceria com a Fundação Aliança para as Democracias.

Ao todo, 124 mil pessoas responderam às questões por meio de sites e aplicativos entre 20 de abril e 3 de junho. Entre 1 mil e 3,2 mil pessoas de cada país participaram da sondagem. A Dalia Research informou que colheu as respostas baseando-se em distribuições oficiais de idade, gênero e nível educacional e cada nação. A margem de erro da pesquisa é de 3,25 para mais ou para menos.

Fonte: undefined – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-06-17/pesquisa-brasileiros-consideram-que-pais-e-o-pior-no-combate-a-pandemia.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *