Para isso, a CPI dos fura-filas da vacinação, voltou a ouvir, na condição de testemunha dos fatos, a Subsecretária Estadual de Vigilância em Saúde, Janaína Passos de Paula. A reunião ocorreu nessa quinta-feira na Assembleia.

Os parlamentares questionaram a servidora de carreira da Secretária de Estado de Saúde sobre os critérios de definição das prioridades da vacinação dentro do órgão a cada remessa recebida pelo estado.

O objetivo é apurar se houve vacinação irregular dentro da própria Secretaria de Saúde, privilegiando servidores administrativos e em teletrabalho, antes de profissionais da linha de frente, mais expostos à contaminação e a contraírem a COVID-19.

Na reunião, a Subscretária fez um histórico da chegada da vacina ao Estado, desde o primeiro lote de imunizantes, em 18 de janeiro de 2021, e de como foi definida a distribuição das doses para as regiões do Estado.// Janaína esclareceu que foram definidas mil doses para vacinação de servidores do nível central e 500 doses para a regional de BH. Ainda segundo Janaína, para vacinar os servidores da saúde, cada subsecretaria definiu sua lista de prioridade, com orientação de que fosse respeitado o plano nacional de imunização.

Mas o relator da CPI, Deputado Cássio Soares, do PSD, criticou a suposta falta de alinhamento nos procedimentos adotados no nível central da secretaria.

A subsecretária Janaína Passos também afirmou que a Secretaria de Estado de Saúde havia distribuído 73% da quantidade de doses destinada ao setor de saúde, quando ocorreu a vacinação de servidores do nível central, entre eles o ex-secretário estadual de saúde.

É possível acompanhar o trabalho da CPI dos fura-filas da vacinação pelo portal almg.gov.br//

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *