Nesta quinta-feira (15), Empresários e autoridades de quatro regiões do Estado tiveram vez e voz no programa “Recomeça Minas”, da Assembleia Legislativa. As opiniões serão levadas em conta no aperfeiçoamento do plano do parlamento, para o reaquecimento da economia no Estado.

As principais críticas foram em relação ao fechamento do comércio e às outras ações restritivas para tentar conter a pandemia. E entre as sugestões, estão a facilidade na concessão de créditos, a desoneração da carga tributária e a suspensão e o parcelamento dos pagamentos de impostos, como sugeriu, em Uberlândia, no Triângulo, o Presidente da Associação Comercial e Industrial, Paulo Junqueira.

Em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, empresários defenderam o direcionamento do plano especialmente para o auxílio às micro e pequenas empresas, como destacou o Gerente Regional do Sebrae, Fabrício Fernandes.

Em passos, no sudoeste, a preocupação é com a recuperação da renda e a manutenção dos empregos. Uma sugestão foi prorrogar o pagamento das contas em atraso, como água e energia, e renegociar esses débitos. Em Conselheiro Lafaiete, nas Vertentes,  em que o comércio é responsável por cerca de 85 por cento da economia, o Presidente do Sindicomércio, Bento Oliveira, sugeriu mudanças no prazo para renegociação dos  tributos.

O Presidente da Assembleia, Deputado Agostinho Patrus, do PV, esclareceu que o plano Recomeça Minas pode gerar quase 15 bilhões de reais para os cofres do estado. Só no primeiro ano, os incentivos às empresas podem chegar a um bilhão e meio de reais.

Nesta sexta-feira, os encontros regionais estão sendo realizados em Ipatinga, no Vale do Aço, Unaí, no Noroeste, Divinópolis, no Centro-Oeste e Uberaba, no Triângulo.

Os encontros regionais estão sendo feitos por meio de videoconferência, por causa da crise sanitária. Para acompanhar, acesse o portal almg.gov.br.

Fonte: https://www.almg.gov.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *