Investigações começaram em novembro depois que a adolescente, de 14 anos, contou para a mãe sobre os abusos; ‘foi um choque, estou morta por dentro’, desabafa a mãe.

A Polícia Civil prendeu um homem de 51 que é suspeito de estuprar a enteada por sete anos na zona rural de Montes Claros, no Norte de Minas. A menina está com 14 anos e era ameaçada de morte durante os abusos.

“A adolescente contou detalhes dos fatos, eles tinham relação sexual completa e o homem sempre fazia ameaças com armas. Ele dizia que mataria a mãe e ela se o caso viesse à tona. A esposa também era agredida por ele”, explicou a delegada Karine Maia.

A Polícia Civil prendeu um homem de 51 que é suspeito de estuprar a enteada por sete anos na zona rural de Montes Claros, no Norte de Minas. A menina está com 14 anos e era ameaçada de morte durante os abusos.

“A adolescente contou detalhes dos fatos, eles tinham relação sexual completa e o homem sempre fazia ameaças com armas. Ele dizia que mataria a mãe e ela se o caso viesse à tona. A esposa também era agredida por ele”, explicou a delegada Karine Maia.

“A adolescente mora na zona rural e estuda em Montes Claros. No dia da denúncia, ela não foi à escola e a diretora procurou a mãe porque a menina não tinha costume de faltar aula. Isso fez com que a mãe se preocupasse, e em conversa com a filha, ela acabou revelando que vinha sendo abusada sexualmente pelo padrasto desde os sete anos”.

Segundo a delegada, a menina passou por exames de corpo delito e os abusos foram confirmados. “Ela tentou inclusive filmar um dos abusos, mas no momento que ele se aproximou dela, o ônibus escolar chegou e ela teve que ir para a escola. Nós tivemos acesso a essas imagens que mostram ele se aproximando”.

O mandado de prisão temporária foi cumprido nessa segunda-feira (16) e a polícia apreendeu as armas que eram usadas nas ameaças.

Dor da mãe
“Foi um choque, estou morta por dentro”, desabafa a mãe da adolescente, que é casada com o suspeito há 12 anos.

A dor e revolta fez com que a mulher tivesse coragem para procurar a polícia. “Perguntei o que estava acontecendo e ela me relatou que todas as vezes que eu saía para resolver algum problema, ela era abusada. Eu pedi força e coragem para enfrentar isso, e falei com ela que nós íamos lutar juntas”.

“Estou aqui me encorajando, muitas mulheres podem estar passando por isso e não estão sabendo. Acham que o marido é um paraíso, mas não é. A gente ver a cara, mas não ver o coração. Ver a cabeça, mas não sabe o que tem na mente”.

Fonte e Fotos: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *