Creio que toda vez que uma pessoa pensa em ajudar o seu próximo, ela tem o caráter de Deus em sua vida.
E quando ela faz alguma coisa desinteressadamente pelo próximo, ela se transforma numa extensão do braço de Deus na vida das pessoas.
É nesse momento, nesse exato ponto que Deus se aproveita desse canal aberto, onde o coração está em êxtase por ser útil e livre de preconceitos e amarras, para falar com quem serve sem pedir nada em troca, e chega a inspiração para novos projetos, para levar adiante sonhos adormecidos.
Deus fala aos humildes!
Por isso vemos pessoas tão simples, tão desprovidas de qualquer bem material ou instrução, construindo hospitais enormes, abrigos e asilos, acolhendo dezenas, centenas e até milhares de necessitados de maneira que as pessoas que estão de fora não entendem.
É assim que vemos algumas pessoas fazendo, enquanto muitos estão só na reclamação gratuita e que não leva a nada.
É assim que nos assombramos com a vitalidade de pessoas tão franzinas, que carregam fardos enormes e só sabem sorrir.
É assim que nos espantamos com a inteligência e sabedoria de quem mal sabe escrever, que trazem em cada palavra uma verdade que não machuca.
É assim que temos vontade de permanecer ao lado de quem só faz o bem, gente que foi maltratada, sentiu o desprezo dos poderosos na alma, mas não guardou rancor e nem tem o que perdoar.
É assim que algumas pessoas emergem da dor, da miséria e outras mazelas, e fazem um bem tão grande que atinge milhares de pessoas, as vezes só com o exemplo.
E quando a noite cair, e o vento soprar mais forte, quando o frio atravessar ossos frágeis, alguns estarão se revirando na cama, tentando dormir sem conseguir, mesmo com calmantes fortes, outros estarão pelas ruas levando sopa, agasalho, carinho, minimizando um pouco a dor de quem ficou pelo caminho.
Por isso não me espanto que muitos esperam a volta do Cristo, enquanto alguns, poucos ainda, todos os dias o encontram, o Cristo que está dormindo nas ruas, que sofre nas casas, que geme nos hospitais, abandonado nas celas, esquecido, humilhado, como foi um dia, há mais de 2000 anos atrás numa cruz.
Bendito sejam os novos samaritanos, que não esperam, vão ao encontro de Cristo, que encontram os levitas pelo caminho e se compadecem dele, e assim levam Jesus em cada casa, em cada vida, não pelas palavras, que se perdem logo após a novela das 9, mas com atos solidários que resgatam vidas, esses sim, estiveram com o Cristo o dia todo, podem dormir tranquilos, sem susto, Cristo já voltou e esteve com cada um deles.
E se você quiser, segue a receita do Mestre: PENSE NISTO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *