Segundo a Polícia Civi, durante as investigações foram apreendidas oito toneladas de materiais metálicos da Ferrovia Centro-Atlântica, dois caminhões e duas máquinas agrícolas roubadas em SP.

Oito pessoas foram presas durante a Operação Cuprum realizada pela Polícia Civil nesta sexta-feira (27) em Curvelo (MG) e Sete Lagoas (MG). A ação tinha como foco desarticular uma organização criminosa especializada em cometer furtos e roubos em instalações industriais, grandes construções, empresas e ferrovias.

O delegado Robert Carvalhaes Levy diz que o grupo subtraiu fios de cobre, materiais elétricos, equipamentos de construção e outros produtos ligados à construção e produção industrial. Ao longo da investigação, houve apreensão de oito toneladas de matérias metálicos da Ferrovia Centro-Atlântica, dois caminhões, duas máquinas agrícolas roubadas em SP, munição e outros objetos industriais.

A Justiça da Comarca de Curvelo expediu oito mandados de prisão preventiva e oito de busca e apreensão. Sete dos alvos moravam em Sete Lagoas, entre eles, o líder e a mulher dele. Apenas um é de Curvelo, a Polícia Civil aponta que cabia a ele a função de escolher os locais que seriam furtados ou assaltados. De acordo com a Polícia Civil, eles agiam na região de Curvelo há um ano.

“Em março, um grupo cometeu um roubo a supermercado, que ainda estava em obras. Pouco tempo depois, assaltou uma fábrica de calçados, que também estava em construção. Identificamos que o modo de agiar era igual, os vigias foram rendidos com armas e trancados em contêineres, além disso, o mesmo carro foi usado nos dois crimes”, fala.

Robert Levy ainda afirma também que após os dois roubos, a quadrilha ainda furtou oito toneladas de materiais da Ferrovia Centro-Atlântica.

“Durante o período das investigações, foram realizadas prisões em flagrante de membros da organização, quando eles tentavam vender dois tratores roubados e depois de furtarem materias metálicos da Ferrovia. Eles foram soltos e presos novamente na operação de hoje.”

Os envolvidos têm entre 20 e 40 anos. Os presos em Sete Lagoas foram levados para Curvelo. De acordo com o delegado, eles podem responder por organização criminosa, furto e roubo qualificado, já que usaram armas, mantiveram as vítimas como reféns e atuaram com a participação de mais de duas pessoas.

Fonte e Fotos: G1 Grande Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *