• Um ano depois a questão da segurança ainda é bastante discutida
  • Novas funções pretendem diminuir as fraudes
  • Sistema reduziu em quase R$ 5 bi os custos bancários das empresas

PIX, o sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (BC), completou 1 ano de funcionamento no país e ganha nesta terça-feira (16) novas medidas de segurança.

Entre elas estão o bloqueio de recursos em caso de suspeita de fraude, notificações obrigatórias de transações rejeitadas e devolução de valores pela instituição recebedora em casos de suspeita de fraude ou falha operacional.

De acordo com o Banco Central, os mecanismos “criam incentivos para que os participantes aprimorem cada vez mais seus mecanismos de segurança e de análise de fraudes”.

Neste 1 ano de PIX, o Banco Central estima que mais de 45 milhões de pessoas que não não faziam transações eletrônicas agora fazem PIX com certa frequência e que o sistema já reduziu em quase R$ 5 bilhões os custos bancários para as empresas. 

As principais novidades

Devolução de valores em caso de fraude ou falha: a devolução poderá ser iniciada pelo prestador de serviço de pagamento do usuário recebedor, por iniciativa própria ou por solicitação do prestador de serviço do pagador. Isso em casos de suspeita de fraude ou falha operacional 

Bloqueio cautelar: vai permitir que o banco que detém a conta do usuário possa efetuar um bloqueio preventivo dos recursos por até 72 horas em casos de suspeita de fraude. Sempre que o bloqueio for acionado a instituição deverá comunicar imediatamente ao cliente.

Notificação de infração:notificação de infração deixará de ser facultativa e passará a ser obrigatória. Visa permitir que os bancos registrem marcação na chave PIX, no CPF/CNPJ do usuário e no número da conta quando há “fundada suspeita de fraude”

Mecanismos adicionais para proteção dos dados: mecanismos adotados pelos bancos devem ser iguais aos mecanismos implementados pelo BC. Os bancos também terão de definir procedimentos de identificação e de tratamento de casos em que ocorram excessivas consultas de chaves PIX.

Fonte: yahoo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *