Preste atenção ao seu relacionamento, disponha-se a perceber as riquezas dele. Exercite a gratidão pelo seu parceiro, família e rotina de vocês.

Existem algumas frases que muitas vezes são ditas como “Eu era tão feliz e não sabia”!? No Meu tempo era tudo muito diferente, Mas quando diz respeito aos relacionamentos amorosos, há uma ideia de que o amor que compensa é aquele intenso, aquele que dá frio na barriga. Isso é maravilhoso, mas são sintomas comuns nas fases iniciais dos vínculos, que vão se abrandando com a convivência.

Muitos casais terminam a relação porque sentem falta dos sintomas iniciais da paixão que, de fato, são viciantes.

Muitos não se dão conta de que aqueles sintomas foram substituídos por outros imprescindíveis para que duas pessoas convivam bem: a amizade, a confiança a liberdade de se mostrar sem formalidades… a espontaneidade.

Muitos casais se separam acreditando que a relação ficou monótona, daí, quando se percebem distante daquele convívio, é que se dão conta de que, o tempo todo, o amor esteve presente, mas não era percebido.

O amor é brisa, o oposto da paixão que é vendaval.

Distante do parceiro ou da parceira, você vai se dar conta de que o amor era aquele aconchego gostoso enquanto assistiam a um filme num domingo à tarde, dentro do pijama, ou mesmo dormindo de conchinha, rindo de tudo até das dificuldades.

O amor se escondia nos risos e nas bagunças na cozinha, no banheiro, ou no quarto. Mas mesmo assim o amor se disfarçava de bolo e café com leite, na mesa da cozinha, porque a  roupa predileta do amor é a simplicidade.

De longe, com o coração estraçalhado, percebe que amor estava escondido naquela ida ao supermercado; que se misturava às bagagens da viagem para um fim de semana ou de férias para a praia ou sitio. O amor era o principal tempero do almoço de domingo. O amor era aquela rotina de chegar em casa e ser recebido pelo cachorro eufórico, enquanto ela cuidava dos afazeres domésticos. Tudo aquilo era amor, tudo aquilo era um tesouro.

Preste atenção ao seu relacionamento, disponha-se a perceber as riquezas dele. Exercite a gratidão pelo seu parceiro ou parceira, pela  família e até mesmo pela  rotina do dia a dia.

Não espere perder tudo isso para valorizar. Lembre-se: toda novidade, com o passar do tempo vira rotina, e toda rotina tem a sua beleza. Pense nisto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *