Quando você perde o interesse por coisas de que gostava. Será depressão?

Depressão é coisa muito séria, contínua e complexa. Estar triste é estar atento a si próprio, é estar desapontado com alguém, com vários ou consigo mesmo, é estar um pouco cansado de certas repetições, é descobrir-se frágil num dia qualquer, sem razão aparente – as razões têm essa mania de serem discretas.

Talvez você não imagine que a depressão é muito mais comum do que pensa.

Ela vai aparecendo, por vezes de forma silenciosa, instala-se e você nem percebe.

Vai afetando produtividade, humor, sono, disposição, relacionamentos…

Doente ou desmotivado?

No consultório, observo que as pessoas passam muito tempo achando apenas que estão cada vez mais tristes ou passando por uma fase de desmotivação.

Muitas vezes, acreditam que sua vida está realmente sem sentido, chata; outras, que existe a dificuldade de pensar sobre o tema, já que é uma doença psiquiátrica e contra a qual ainda existe discriminação.

Essa confusão acontece porque a maioria acredita que depressão é “fundo de poço”, quando a pessoa já não se levanta da cama.

Há várias etapas diferentes na depressão e as reações das pessoas são diferentes, por isso não existe um padrão de sintomas.

A depressão é uma doença, e é tratável. A gente adoece quando sofre forte trauma ou passa por momentos de dor intensa e não consegue superá-la.

Por vezes, até acredita que a superou, porém os sintomas dizem que não.

Situações como divórcio, perdas, bullying, doenças graves, chantagem emocional, violência, desemprego, problemas sérios financeiros, etc. podem gerar desequilíbrio químico no cérebro.

Muitas pessoas têm depressão por predisposição genética, outras têm doenças cerebrais, enquanto outras são acometidas por distúrbios hormonais, também responsáveis pelo aparecimento da doença.

O uso de álcool e drogas também favorece seu aparecimento.

Se vamos deixando nossa vida passar sem rever crenças, de vez em quando, se deixamos que a correria do dia a dia nos engula, aí fica mais fácil ela tomar conta depois de alguma situação perturbadora ou estressante.

Ian Cook, psiquiatra e diretor do Programa de Pesquisa e Clínica de Depressão da UCLA (Universidade da Califórnia – EUA), coloca como fundamental que a pessoa com depressão se esforce para ter uma rotina, com agenda diária definida, com horários e atividades planejadas.

Agora que já refletiu sobre tudo isso, preste mais atenção em você, cuide-se melhor, pois a saúde é fundamental na nossa vida.

Viva mais o presente, pratique emoções positivas sempre, foque no que você tem de bom e seja feliz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *